ACADEMIA

tok china e loja de motos

tok china e loja de motos

sexta-feira, 19 de maio de 2017

IFPE em Afogados da Ingazeira fará votação para denominar Biblioteca do Campus


Por meio de uma comissão formada no próprio Campus, foram indicadas 03 (três) personalidades para votação pela comunidade acadêmica que ocorrerá no dia 31 de maio, e nomear a Biblioteca do Campus do IFPE em Afogados da Ingazeira.
A votação se dará por meio de cédulas que serão encaminhadas as salas de aulas e dos servidores que escolheram entre os três indicados, que são: o poeta João Paraibano, a professora Nevinha Pires e o escritor Gonzaga Barbosa. O resultado será conhecido no dia 02 de junho no próprio Campus.
A comissão diz que não foi discutido nada sobre panfletagem. “Mas, com certeza que cada um pode e deve discutir porque que seu candidato merece ganhar, uma vez que tentamos fazer tudo o mais transparente e democrático possível”, diz o Bibliotecário do Campus, Thiago Leite.
Veja o perfil dos candidatos:
João Pereira da Luz (João paraibano)
Poeta, Repentista, nascido em Princesa Izabel, Paraíba, mais que adotou Afogados da Ingazeira como a sua segunda casa. Um dos repentistas mais célebres da sua geração, era presença cativa em todos os grandes festivais de repentes no país, cantava ao lado do também poeta Sebastião Dias. Liderava um programa de Rádio em Afogados da Ingazeira. O livro “Herdeiros dos Astros” consagra a obra poética desse grande cantador nordestino.
Maria das Neves Pires da Silva (Nevinha Pires)
Professora e Escritora, de Tabira, Pernambuco, filha de um ex-prefeito de Afogados da Ingazeira. Dedicou-se ao ensino durante 40 anos da sua vida, prestou auxílio escrevendo cartas de sertanejos destinadas a parentes no Sudeste do país, já que tinha habilidades caligráficas e com as letras. Escreveu livros, principalmente sobre a cidade de Tabira, contando sua história. Morreu de falência múltipla dos órgãos em 19 de novembro de 2016, aos 91 anos.
Luiz Gonzaga Barbosa (Gonzaga Barbosa)
Escritor afogadense, na sua infância fora acometido por uma queda de cavalo e na prescrição medicamentosa, que comprometeu seus movimentos e paralisou seus membros inferiores. Contudo, nenhuma dessas adversidades o impediram de se dedicar a cultura. Gonzaga publicou alguns livros, tendo o último, “O grande milagre” sendo editado em 2015. Ele nos deixou em 31 de outubro de 2016.