ACADEMIA

tok china e loja de motos

tok china e loja de motos

quarta-feira, 10 de maio de 2017

INSS convoca idosos para perícia na operação pente-fino


Os beneficiários de auxílio-doença com mais de 60 anos já estão sendo convocados para perícia no INSS, na operação de pente-fino lançada pelo governo federal para a revisão dos benefícios por incapacidade pagos pela Previdência há mais de dois anos.
Os beneficiários são convocados por carta para realizar o exame. Ao receber o comunicado, ele tem cinco dias para agendar o atendimento, que deverá ser feito pelo telefone 135, da Previdência Social. A ligação de telefone fixo é gratuita e a de celular tem custo de ligação local. Exames e laudos médicos atualizados são importantes para que o benefício não seja cancelado.
A assessoria de imprensa do INSS não informou, até o fechamento desta edição, quantos idosos serão convocados para essa revisão, tampouco os dados de Pernambuco. No caso dos benefícios concedidos por invalidez, que devem começar a ser revistos no segundo semestre deste ano, o segurado que completa 60 anos de idade é retirado automaticamente do pente-fino, já que a legislação desobriga os idosos inválidos de irem à perícia.
Segundo o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a convocação não é linear nem ocorre para todas as faixas ao mesmo tempo, em todas as cidades. Desse modo, em alguns locais, segurados com mais de 60 anos já podem ser chamados e, em outras, não.
BALANÇO
Dados do INSS apontaram que já foram realizadas 22.753 perícias de revisão, dos 54.954 convocados até agora, sendo que 19.486 auxílios-doença acabaram cancelados. Outros 1.779 benefícios foram anulados pela ausência do segurado. Até o início de abril, foram enviadas 247.937 cartas de convocação.
O Governo Federal anulou cerca de 85 mil auxílios-doença que vinham sendo pagos de forma indevida, o que resultou em uma economia de R$ 1,6 bilhão aos cofres da União. O pente-fino nesses benefícios começou em julho de 2017, após o órgão identificar que 1,7 milhão de pessoas estavam recebendo o benefício por determinação judicial sem que tivessem passado por avaliação médica nos últimos dois anos. Até o dia 13 de abril foram realizadas 87.517 perícias, que resultaram no cancelamento de 73.352 benefícios, 84% do total. O índice é muito acima do anunciado inicialmente pelo governo, que esperava rever cerca de 30% dos benefícios.