ACADEMIA

tok china e loja de motos

tok china e loja de motos

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Quanto custa ir à Copa do Mundo na Rússia


Parece que foi ontem que o Brasil sediou a Copa do Mundo, mas só falta cerca de um ano para a próxima edição do evento na Rússia. Com presença garantida da seleção brasileira, os torcedores que desejam cruzar o Atlântico para acompanhar os jogos já têm que se planejar.
A Copa será realizada entre os dias 14 de junho e 15 de julho. No total, serão 32 dias de disputa, com a abertura e a final sendo realizadas na capital Moscou. A passagem é cara, mas os valores do transporte público e alimentação, por exemplo, compensam. De acordo com o site Expatistan, ferramenta que compara o custo de vida entre diversas cidades do mundo, os gastos com comida, transporte e cuidados pessoais em Moscou são até 19% mais baratos do que no Recife. Segundo estimativas de preço realizadas em agências de viagens, sites de companhias aéreas e hospedagens, o roteiro não sairá por menos de R$ 5.712 mil, no modo mais econômico possível. Esse valor inclui apenas hospedagem, ingresso para um dos jogos na fase de grupos e passagem aérea. Logo, o turista já deve começar a guardar, no mínimo, R$ 476. Sua Copa do Mundo na Rússia pode ser de dois tipos: viagem de mochileiro - mais em conta e sem agência - ou com mais conforto. Essa segunda modalidade foi à escolhida pelo radialista Alberto Cabral, que vai ao mundial com a esposa e começou a economizar desde a última edição.
"Guardo mensalmente R$ 350. Já juntamos R$ 25 mil, mas a meta é chegar aos R$ 40 mil. A partir disso, vamos ver com as agências qual pacote fica melhor. Alguns imprevistos aconteceram, precisei pegar parte do dinheiro, mas a poupança segue firme", conta ele, que criou um grupo no Facebook para brasileiros interessados em ir ao mundial.
O agente da Luck Viagens Igor Arruda explica que o primeiro passo é calcular os gastos da viagem, a partir de suas preferências e considerando todas as despesas possíveis. A dica é acrescentar 30% sobre o preço total do pacote, porque há gastos extras em todo roteiro. "Imprevistos sempre podem acontecer. Sendo assim, leve sempre uma quantia em dólares americanos, que é uma moeda mundialmente aceita. Ou de euros, cuja aceitação naquele país é ampla", aconselha.
Assim como houve no mundial do Brasil, haverá bilhetes mais acessíveis, cerca de 350 mil tíquetes. Devido à distância entre Brasil e Rússia, não existem passagens diretas para o país europeu. O brasileiro faz o trajeto com companhias europeias, asiáticas, americanas ou africanas. Para quem costuma viajar com pouca bagagem, uma opção é ir até alguma capital europeia e de lá tentar voos locais mais baratos. A capital russa conta com quatro aeroportos.
Na época da Copa do Mundo, Moscou estará seis horas à frente do horário de Brasília e, durante o período, estará acontecendo às noites brancas de São Petersburgo, quando o dia encontra com a noite e quase não escurece.
Brasileiros que viajam a turismo para a Rússia por um período máximo de 90 dias não necessitam de visto para a entrada no país. É necessário estar vacinado contra febre amarela. Além de documentos de identificação, é preciso o passaporte com validade mínima de seis meses. A moeda russa é o rublo (R$ 1 vale aproximadamente 16 rublos). O câmbio pode ser efetuado em bancos e nos principais hotéis.