ACADEMIA


domingo, 27 de março de 2022

Lula diz que eleição não será ‘tarefa fácil’, em evento no Rio dois dias após pesquisa


 Dois dias depois de pesquisa Datafolha mostrar recuperação do presidente Jair Bolsonaro (PL), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, no “Festival Vermelho”, evento de comemoração do aniversário de cem anos do PCdoB, que a eleição não será fácil. Ele aproveitou para atacar o atual titular do Palácio do Planalto, cobrando investigação do suposto esquema de “rachadinha” e criticando também a alta do preço dos combustíveis.

O levantamento do instituto, divulgado na última quinta-feira, mostrou Bolsonaro com um desempenho superior ao que vinha registrando em rodadas anteriores, chegando a 26% das intenções de voto. Lula se manteve na liderança com 43%.

Em seu discurso, no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói, Lula falou da importância de eleger uma bancada aliada no Congresso e afirmou que, caso isso não aconteça, seu eventual governo, se eleito, vai ficar “fragilizado”.

— Não vai ser uma tarefa fácil. Não basta votar no Lula. É importante ter em conta o que está acontecendo no Brasil. Temos que eleger deputados e deputadas, senadores e senadoras. Se a gente não fizer isso, vamos ficar fragilizados. Respeito muito a Câmara dos Deputados, sei que é importante o papel que ela desempenha. Agora, nas eleições de 2018, ela foi um assalto. De mentira e de fake news, declarou o petista.

Ao citar o Congresso, Lula também criticou o chamado orçamento secreto, pelo qual não há transparência sobre a indicação de recursos por parlamentares, e questionou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

— Se não fosse vergonha, não seria secreto. Se é honesto, por que o presidente da Câmara não publica? — completou.

Já em clima de campanha, o ex-presidente foi enfático ao criticar Bolsonaro e lembrou até de Fabrício Queiroz, suspeito de operar um esquema de recolhimento de parte dos salários de funcionários do gabinete do hoje senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), na época em que era deputado estadual no Rio. Lula disse que “até agora o seu Queiroz não foi prestar depoimento e a rachadinha não foi investigada”.

O petista questionou ainda a política de preços adotada pela Petrobras, que regula o preço dos combustíveis no Brasil segundo a variação do mercado internacional. Em meio à alta no setor, Lula voltou a criticar Bolsonaro e disse que o atual presidente “joga a conta na Ucrânia e nas costas do trabalhador brasileiro, que ganha em real”, antes de afirmar que, caso eleito, vai “abrasileirar o preço do combustível”.

— Se você entrar em algum programa de pegar dinheiro, pegue. Pegue o dinheiro e depois vote em nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.