ACADEMIA

tok china e loja de motos

tok china e loja de motos

segunda-feira, 27 de março de 2017

Michel Temer é esperado na Paixão de Cristo de Nova Jerusalém


O Pernambuco em Ação, realizado da última quinta-feira até sábado no Sertão, será interrompido esta semana devido a outros compromissos do governador Paulo Câmara, para retornar apenas depois da Semana Santa. A programação da próxima etapa do projeto de prestação de contas do governo estadual aguarda uma sinalização do presidente Michel Temer (PMDB), que pode vir a Pernambuco para acompanhar a apresentação da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Brejo da Madre de Deus, no Agreste. Se a agenda for confirmada, essa será a primeira viagem do peemedebista ao Estado após liberar os governadores e prefeitos para fazerem reformas previdenciárias específicas aos servidores estaduais e municipais.
A sexta-feira da Paixão cairá no dia 14 de abril, mas o espetáculo teatral começa antes, no dia 8. A equipe do Palácio do Campo das Princesas depende de um retorno do presidente para saber se irá montar a estrutura do Pernambuco em Ação já para o dia 6 de abril (uma quinta-feira) ou se o governador irá retomar as viagens após a celebração da Semana Santa. Paulo Câmara não quer correr o risco de estar no Sertão e deixar de acompanhar o presidente da República durante sua passagem pelo Estado.
Embora a viagem de Temer não tenha um peso administrativo, a Reforma da Previdência deve ser um assunto tratado entre o peemedebista e as lideranças políticas do Estado.
Na semana passada, durante a primeira rodada do Pernambuco em Ação, o vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry (PMDB), disse que a retirada dos servidores estaduais e municipais do projeto de reforma previdenciária não foi boa. "O ideal é que a reforma fosse para todos. Mas ele só pode aprovar dentro do Congresso Nacional a reforma possível", disse.
A visita de Temer, caso se concretize, reunirá alguns dos principais nomes cotados para disputar o governo estadual e o Senado em 2018.
Além do próprio governador Paulo Câmara, o peemedebista deverá ter a companhia dos quatro ministros pernambucanos que integram o governo federal.